sexta-feira, 4 de setembro de 2015

A última carta de Amor

Meu querido e único amor,
      Eu falei a sério. Cheguei á conclusão de que o único caminho é um de nós tomar uma decisão ousada.
      Não sou tão forte quanto você. Quando a conheci, achei que você fosse uma coisinha frágil, alguém que eu precisava proteger. Agora percebo que me enganei. Você é a forte de nós dois, a que é capaz de suportar conviver com a possibilidade de um amor como este, e com o fato de que ele jamais nos será permitido.
      Peço-lhe que não me julgue por minha fraqueza. A única forma de eu poder suportar isso é estar em um lugar em que não a veja nunca, em que eu não seja assombrado pela possibilidade de vê-la com ele. Preciso estar em um lugar onde a pura necessidade impeça que você ocupe cada minuto, cada hora dos meus pensamentos. Aqui isso é impossível.
      Vou aceitar o trabalho. Estarei na plataforma 4, Paddington, ás 19h15, sexta-feira á noite, e nada no mundo me faria mais feliz do que você encontrar coragem para vir comigo.
      Se não vier, saberei que o que sentimos um pelo outro, seja lá o que for, não basta. Não a culpo, minha querida. Sei que a pressão das últimas semanas foi intolerável para você, e o peso disso me afeta profundamente. Odeio a ideia de poder lhe causar qualquer tristeza.
      Esperarei na plataforma a partir das 18h45. Saiba que você tem meu coração, minhas esperanças, em suas mãos.
      Seu,
       B.

Eu queria poder ser capaz de colocar todos os sentimentos que se afloraram em mim enquanto lia esse livro. Todo o amor, todo o desespero, toda a angústia, toda a felicidade, toda a surpresa, toda a tensão, tudo, mas é impossível. Eu levei uma semana para conseguir finalizar um livro que levaria dois ou três dias para fazê-lo, mas a intensidade dos sentimentos é tamanha que não consegui fazer isso sem pausas. Quando não acreditava no que estava acontecendo, parava.

O livro traz uma narrativa romântica e ao mesmo tempo dramática sobre paixões desencontradas, corações partidos, recomeços cheios de esperanças e de Amor, aquele amor que supera todas as armadilhas que se encontram pelo caminho, um amor que supera até o tempo. O livro é incrivelmente comovente e combina a busca pela verdade nos dias de hoje com o glamour romântico dos anos de 1960.

O livro nos faz repensar, ao menos me fez repensar sobre o que achamos ser o Amor, de como nós perdemos isso hoje em dia, em como amar e ser amado é algo inebriante, um presente dado a pouquíssimos e que raramente damos valor. É um livro excepcional e que indico um milhão de vezes para que vocês leiam.