quinta-feira, 3 de março de 2016

Viva mais, sem medos ...


_ Eu acho que você anda muito com o pé atrás, viu loira!.

Foi o que ouvi ontem de uma amiga que acha que eu tenho me preservado muito em relação aos homens que aparecem em minha vida e que tenho deixado passar, assim, sem esforço algum para que eles permanecessem.

_ Vocês tem que ter paciência comigo poxa, não tá fácil ultimamente. Você sai com um cara e uma semana depois, não tem mais "cara".

Não vou colocar aqui quais foram minhas verdadeiras palavras, porque possui algumas bem feias e prometi para os meus pais que evitaria escrever palavrões no Blog, mas de um jeito mais bonitinho, foi isso que falei para os olhos que me julgavam e balançavam a cabeça para mim em meio as minhas desculpas, meio esfarrapadas eu sei, mas também carregando um grande cansaço.

É difícil depois de algumas porradas não ficar com o pé atrás quando tudo parece estar indo muito bem, não é verdade?! Parece até que a vida está esperando só mais um pouquinho para você finalmente abaixar a guarda e gritar na sua cara "pegadinha do malandro". Ultimamente to preferindo ir com calma e sei que para as pessoas que me conhecem a anos isso pode parecer bem estranho, porque geralmente me jogo de cabeça em tudo e em "todos" sem me preocupar se o precipício vai ter um fim bem doloroso, mas quando frequentemente a dor está te esperando lá no fim, a gente fica receoso e pensa umas três vezes se quer se jogar outra vez.

O engraçado é que quem tinha esse discurso, quem tinha que mostrar para as outras pessoas que toda tentativa valia a pena, era eu e nessa minha conversa com as minhas amigas de infância percebi que estava mesmo com receio e nem tinha notado, ouvi coisas incríveis, fortes, verdadeiras que só quem te conhece e confia em você tem coragem de falar.

_ Mas o seu "não deu certo" é bem sutil com relação ás merdas que já rolaram na sua vida.

_ Esse "voltou a se ver", rolou da parte dele, pelo que conheço de você!

_ Ser solteira é difícil demais. Pessoas legais tem que atrair pessoas legais. E você é tão legal, eu não entendo, não consigo entender!

_ Júlia, você tem que se entregar mais, mesmo que no final não dê certo. Pois você pode perder uma chance.

_ Vamos fazer a bandeira de "Viva mais Júlia".

_ É difícil, mas é isso ... não fale em sofrer porque eu passei cinco anos com um cara que eu pensei que ia casar, mas nunca me chamou de Amor.

E lá estava eu sentada, ouvindo minhas três grandes amigas tentando me colocar nos eixos novamente, sentindo a frustração em suas vozes por eu não ter encontrado alguém que me mereça ainda e ao mesmo tempo me dando forças para não parar de procurar, de me envolver, de dar chance ao novo carinha. E eu gostaria de pensar, na verdade chego a desejar que toda mulher tenha pessoas maravilhosas assim ao seu lado, que te entende, que sabe por tudo o que você já passou e mesmo assim não a deixa desanimar, que conseguem perceber que você não está sendo você, que há algo de errado, que falem em fazer uma bandeira de "Viva mais Júlia, Mariana, Sheila, Carolina, Aline, Fernanda, Laís, Jaqueline ...".

A gente tem essa mania boba de pensar que só nós passamos por determinadas situações e que é sempre pior com a gente, mas tem tantas pessoas aí fora passando por coisas infinitamente mais difíceis e não abaixam a cabeça e ainda gastam o seu tempo para te apoiar, te fazer olhar de uma forma diferente, fazer você lidar de uma forma diferente. Prometi que ia me esforçar, não ficar mais com o pé atrás, mas deixando bem claro que se acontecesse o pior, eram elas que teriam que me aturar depois.

_ Júlia e já não somo nós que te "aturamos" de todos os jeitos possíveis?!. Vai lá e viva sem medo, é o que ta escrito na bandeira.