quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Aumenta! Porque eu Amo essa Música


E se tem alguma coisa que supera o Meu Amor por livros com certeza é o meu Amor por músicas. E não, eu não vou falar por música boa pois o que é bom para mim nem sempre é para você. Eu não consigo explicar esse imenso Amor, a primeira coisa que eu faço ao entrar no carro é ligar o som, e se eu não sou a dona do "Poder" os meus pais já sabem apenas com um olhar, ou com uma leve pressionada do joelho no banco deles que esqueceram de algo muito importante! Turn on the radio. E sempre em seguida vem um "Aumenta! Porque eu Amo essa música" e minha mãe me dá aquela olhadinha de como quem diz "Você ama todas as músicas" e ela não está nem um pouco errada.

Começa com uma batidinha seguida com o pé, a vibração vai subindo pelo corpo chegando até os ombros que começam a dar aquela leve mexidinha, corre para as mãos que batucam em algo e chega até a cabeça que vai de um lado para o outro e aí meu amigo, você não pode fazer mais nada! Eu começo a dançar, a cantar e nem preciso falar das minhas caras e bocas não é mesmo?!

Quando me perguntam "De que estilo de música você gosta?", não me julguem ao ouvir como resposta "Todos". Ontem um cara me fez essa pergunta e disse que gostava de música boa e que a pessoa deveria gostar também, porque ninguém merecia ter que ouvir funk no carro. Você está fazendo isso errado, meu caro! Não se julga uma pessoa pelo que ela ouve, música não define as pessoas, caráter e o que ela leva no coração sim, fica a dica. E eu adoro todos os estilos porque para mim música é coisa de momento, de vibe, feeling, de companhia e o quanto de tequila você tem na cabeça, por exemplo. Eu não tenho preconceitos, consigo me infiltrar em todas as tribos, conheço um pouco de tudo e só me descobrem se perguntarem coisas específicas. Eu vou lá saber qual a música de maior sucesso do Foo Fighters?? A maioria arrebenta, eu hein.

Nasci de uma Baiana arretada apaixonada por Chiclete com Banana e de um Mineiro tranquilo que arrebenta no Modão. E já pulei e cantei "Se você é chicleteiro Deus te abençoa, se você não é Deus te perdoa" ao lado Dela e já fui cantarolando para as Minas Gerais "Mas lá no meu ranchinho a mulher e os filhinhos Tem franguinho na panela" e ai de mim se não prestar atenção na história e lição que a música trás com Ele.

Já dei muito Beijinho no Ombro nas baladas com "Azamigas" pro recalque passar longe e pras invejosas de plantão e soltei um "Prepara" e fiz um show das poderosas com elas. Curti um rockzinho num Pub maneiro quase que gritando a plenos pulmões com os amigos "I can´t get no Satisfaction 'Cause I try, and I try, and I try, and I try". Ou peguei uma carona no "Camelo" do Eduardo que marcou de se encontrar com a Mônica no Parque da Cidade e eu percebi que o Eduardo achou estranho e melhor não comentar mas a menina tinha tinta no cabelo.

E é mais que evidente que eu não resisti quando um Moreno me convidou para dançar um xote, beijou o meu cabelo cheirou meu cangote e fez meu corpo inteiro se arrepiar. E quando o cansaço bate a porta mas traz um sorriso no rosto por ter alcançado uma vitória pessoal a gente logo pensa "Valeu a pena êh êh valeu a pena êh êh sou pescador de ilusões".

E o que dizer daquelas músicas lentinhas, fofinhas, lindinhas? São perfeitas, eu adoro. Aquelas que parecem estar adivinhando o que está se passando na sua vida agora e canta tudo para você, sabe? "Aqui, eu nunca disse que iria ser a pessoa certa pra você, mas sou eu quem te adora", aquelas que depois de você levar um pé na bunda te acompanham uma, duas, três, quatro semanas seguidas e o seu irmão que não está na mesma vibe que você pede pelo Amor de Deus que você pare de ouvir essas músicas de enterro e você canta com mais empenho ainda ao som do violão de Boyce Avenue "Say something I'm giving up on you, I'l be the one if you want me to, Anywhere I would've followed you..." ou num show do Henrique e Juliano você liga para a pessoa e canta "E o que me prometeu, será que se esqueceu? De todos nossos planos, nossos filhos, nosso apartamento. Da nossa lua de mel do nosso casamento, como pude acreditar nesse seu juramento? E agora estou sozinho outra vez?".

Música para mim é terapia, serve para tudo! Para desabafar, desestressar, curar dores de amor, me deixar mais feliz e animada ou mais triste, mas não um triste ruim, aquele triste necessário para que você possa se reerguer de novo quando estiver pronta, serve para acalmar, alegrar o dia, viajar em pensamentos ou pensar em nada, serve para contar as minhas várias histórias e tenho certeza que contar as suas também. Ou serve apenas para curtir o momento, curtir a própria música.

Sempre que volto do Cursinho eu ligo o som bem alto, isso me desestressa parece que aquela carga pesada do dia vai toda embora e o cansaço dos estudos também. E ontem voltando para casa o que começa a tocar na rádio?? Backstreet Boys, eu não falei mas sou fan de carteirinha desde os meus 12, 13 anos, eu e mais três grandes amigas e por favor, como eu disse, sem julgamentos. Não me contive, peguei o celular, abri o whatsapp e procurei o grupo das Luluzinhas e mandei ver no microfonezinho! Provavelmente deixou a minha noite mais linda e a delas mais engraçada pelas respostas que recebi. E é para isso que músicas são feitas ao meu ver, para criar diferentes emoções.


Então um Super, Big, Advanced, Plus, Enorme Obrigada à vocês cantores, compositores ou cantores e compositores que deixam os nossos dias repletos de emoção e com algumas muitas Trilhas sonoras. Não tem nada melhor que achar uma trilha sonora diferente para cada experiência que você tira dessa coisa gostosa que é viver.

E agora, aumenta aí por favor! Porque eu Amo essa música.