quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

O Amor está nos Detalhes


Eu abri os olhos bem devagar e ele estava lá, de bruços com um braço envolvido em minha cintura e uma respiração pesada. Tentei me mexer o menos possível, tirar seu braço sem acordá-lo. Me sentei na cama e na minha frente uma cidade toda acordada, prédios, luzes, carros, pessoas, árvores, tudo ali minusculo, cheio de vida, visto da janela do quarto dele. E eu sorri ao olhar de novo para sua cara amassada e a paz que seu rosto transmitia.

Num mundo em que todo mundo procura o Amor, mas não quer de fato tentá-lo, eu encontrei você. Você que me ensinou que o Amor é detalhe, que o Amor se prova diariamente, baixinho, sem ter que gritar para todo mundo, sem grandes exageros, sem fotos arquitetadas de momentos intensos, sem cutucar o vizinho, sem ter que se expor para pessoas que geralmente não conseguem torcer pela felicidade do outro, porque essa felicidade parece estar bem distante para eles.

O Amor está no detalhe de um "Bom dia, meu Amor", de um abraço apertado enquanto assistimos um filme ruim na televisão, do beijo roubado sem se importar com lugares ou plateias, em se fazer presente na angústia do outro mostrando que está sempre ali para ele, no cobrir na hora do frio, em dar coragem na hora que ela nos falta, em apoiar em todos os sonhos mesmo que pareça ser um daqueles bem loucos, de simplesmente olhar nos olhos quando estamos falando.  

_ Ei Júlia, ta tudo bem??!

Virei e encarei aquele olhar mais uma vez, que por mim encararia por toda a vida. Ele me colocou deitada no seu peito e começou a contar histórias da sua adolescência, das suas aventuras e loucuras, das suas amizades, da falta que sentia dos amigos, me deixou fazer perguntas e respondeu a todas, e ria, um sorriso contagiante que fazia com que o meu se abrisse também. E falou de decepções, de desencontros, dos seus objetivos, do que ainda esperava fazer mais para frente. E foi tudo tão íntimo, tão leve, sem desconfortos, somente duas pessoas ali, se conhecendo um pouco mais. Ele tentando me encaixar nos meus textos e eu tentando encaixá-lo em suas histórias.

_ Não sei se devo falar mais.

_ Ué, porque não?

_ Porque algo me diz que vai parar lá no seu Blog.

_ Você acha mesmo que eu falaria disso no Blog?