quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Carta ao Papai Noel

Querido Papai Noel,



É engraçado como o destino pode nos surpreender, como a nossa vida pode tomar um rumo totalmente ao contrário daquilo que esperávamos, totalmente ao contrário dos nossos planos. Há alguns meses atrás eu diria que me comportei bem, que fui uma boa garota e que por isso merecia sim o meu presente, minha "recompensa" por isso. Hoje não sei muito bem se sou merecedora.

Afinal, o que é ser uma boa garota? O que podemos usar para defini-la? Quais são os pré-requisitos para julgar o que é bom e o que é ruim? Quem pode julgar uma pessoa e chegar ao veredicto foi BOM ou foi RUIM?

Nossa consciência? Nossos pais? Nossos familiares? um amigo? um conhecido? um desconhecido? Papai Noel você pode?

Nosso dia a dia é resumido nas escolhas que fazemos para lidar com os obstáculo que encontramos no caminho e enfrentar a consequência dessas escolhas. E como saber se estamos fazendo as escolhas certas?! Nós não sabemos, vamos pela intuição do que vai nos fazer bem mas logo ali na frente pode vir ou não um arrependimento por tê-las tomado ou um dedo apontado no seu rosto dizendo "eu avisei, porque não escolheu a opção B ao invés da A?".

Você fez a escolha errada? Supere e vá até a próxima casa. A vida não pode parar porque você errou, você pode tentar aprender com os seus erros ou tentar consertá-los ou apenas deixar para lá, mas essa também já é uma outra escolha que estará fazendo.

Talvez eu não tenha sido uma Garota Boa e talvez não mereça presentes, mas escolhi ser o que sou. Escolhi viver intensamente todos os sentimentos que a vida esfrega na minha cara. Escolhi viver Amores mesmo sabendo que podia quebrar a cara, escolhi dar Bom dia todos os dias para os porteiros, desconhecidos na rua, clientes, amigos, família, mesmo talvez não recebendo de volta ou recebendo caras feias e mal humoradas, escolhi dizer Eu te Amo para as pessoas que eu acho que merecem, escolhi sair no meio da madrugada para ajudar uma amiga que brigou com o namorado na casa dele e não tinha para onde ir, escolhi ajudar um velhinho a mexer no caixa eletrônico e resolver seus problemas, escolhi perguntar para as pessoas o que estava acontecendo e como estava sendo o dia delas mesmo sabendo que aquilo me custaria uma hora ou mais do meu dia, escolhi persistir em amizades perdidas desejando estar errada, escolhi tentar sorrir sempre que possível e chorar quando necessário, escolhi deixar a mágoa permanecer no meu coração o tempo que for necessário para que quando ela resolver ir embora vá de vez, eu escolhi não fazer planos o tempo todo e deixar a vida me surpreender um pouquinho, escolhi não ligar para o que os outros pensam e fazer o que tenho vontade, escolhi não dizer sempre "sim" para as pessoas porque aprendi que isso gera pessoas folgadas e que algumas precisam receber um "não redondo" de vez em quando, escolhi encher a cara de vinho com as minhas amigas e falar mal dos desamores, escolhi não me deixar levar pela carência e ficar só quando necessário, escolhi fazer cara feia para o que me deixa triste, escolhi não fingir concordar só para agradar alguém, escolhi ser Eu.  

E julguem isso Bom ou Ruim eu fiz e faço minhas escolhas todos os dias sem medo das consequências, apenas com o cuidado de quando me arrepender saber voltar atrás ou tentar consertar as coisas. E talvez o Papai Noel possa achar isso bom ou ruim e eu possa ganhar ou não meu presente, mas o maior presente é poder escolher ser verdadeiro com você mesmo. 



O que você acha Papai Noel, mereço ou não meu presente?
E você, se comportou direitinho? quais foram suas escolhas? O Papai Noel deixaria um presente na sua árvore de Natal?